Pular para o conteúdo principal

Destaques

Fórum Setorial do Audiovisual Paraibano aponta precarização do cinema em edital da Funesc, que segue aberto até esta sexta (10)

O Fórum Setorial do Audiovisual Paraibano apresentou, na última quinta-feira (02), uma carta aberta enviada à Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), propondo mudanças no edital n° 07/2020 (Meu Espaço – Compartilhando Cultura). O projeto da Funesc foi divulgado no dia (31) de março e oferece 105 vagas de propostas artísticas nas áreas de: contação de histórias, circo, teatro, dança, literatura, histórias em quadrinhos, música, culturas populares, artes visuais, poesia falada e cinema.

Após a fase de inscrição e seleção, o objetivo é transmitir, por meio das mídias sociais da Funesc, produtos culturais produzidos na Paraíba. Segundo a presidenta do órgão, Nézia Gomes, a fundação pretende movimentar a cena cultural e estimular o isolamento domiciliar, especificamente nesse período de pandemia causado pelo coronavírus (Covid-19). Outro objetivo é apoiar os artistas locais atingidos financeiramente pela pandemia.

Representantes do Cinema local

Assinada por mais de 40 representantes …

Independência e Pluralidade

Não é minha pretensão fazer um editorial, mas não me furto da responsabilidade de usar este espaço para introduzir alguns conceitos que podem ajudar a inspirar os demais colegas que, com maior qualidade, irão preencher este espaço com suas produções.

Fazer parte de uma Empresa Júnior de Comunicação em uma Universidade Federal diante de toda contexto que envolve a data desta publicação é algo complexo. Resgatar um projeto iniciado em 2007, com o nome de Innova Comunicação, pausado em 2013 e reiniciado agora é um desavio maior ainda. Os tempos mudaram – e como – o que nos leva a repensar nomes, conceitos e formas de impactar positivamente a sociedade.

As palavras levam ideias, conceitos e discursos. São elas os signos que trazem para a realidade as ideias e devaneios de um telencefálo altamente desenvolvido conjugados com possuidores de polegares opositores.

Neste sentido, há um ano, foi iniciado o projeto de implantação da “Íris”, nome escolhido para dar esse novo olhar sobre a comunicação e que carrega mitologias, biologias, físicas e N aplicações. Aliado a isso, vem os conceitos que complementam uma postura que vislumbro: Independência e Pluralidade.

A Independência traz a ideia da Liberdade com a Responsabilidade. Através disso, a Íris Comunicação pode agir com firmeza e determinação. Sem medo de ter em si projetos que tratem os espaços e as ações de quem faz parte da sociedade.

A Pluralidade vem abordar a Diversidade em suas camadas interligadas pela Coerência de nichos, produtos e linguagens transcomunicacionais. Para quem se dirige o produto ou serviço que ofertamos, o respeito aos valores fundamentais dos Direitos Humanos e a compreensão do quão complexo é a sociedade feita por seres possuidores de um telencefálo altamente desenvolvido e polegares opositores.

Compreendo que este é só um início, uma provocação. Quero e desejo ser superado por outros mais talentosos e que o que seja feito neste espaço possa servir como um aprendizado na busca de trazer os Estudantes para mais próximo de uma relação saudável de integração profissional com a sociedade.
A Agência Íris de Comunicação – EJCom UFPB é o espaço para quem tem pró atividade em agir com Independência e Pluralidade.

Venha ser mais uma cor nessa Íris

Cordialmente,

Rúben Salomão Gomes da Silva
Presidente da EJCOM UFPB
Agência Íris de Comunicação




Comentários